Sinopse

"- ...Só que aí você volta, e te amar é tão mais fácil...."

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Eu amo a Miley Cyrus - Capítulo 18

Agora eu sei!
Narrado por Miley
Los Angeles, Califórnia, 21:43 PM (Horário Local) Uma rua qualquer de Los Angeles
"- Miles, amor, ela foi apenas um passatempo, é você quem eu amo.Você não sabe o que você significa pra mim?!
– Agora eu sei!"



110, 120...160 e a velocidade só ia aumentando no velocímetro do meu carro. Eu pisava cada vez mais fundo no acelerador, mal via o que passava por mim, tudo que eu via eram manchas sem forma que mais pareciam borrões de tinta e o brilho azulado das luzes da cidade. Dentro de instantes eu já estava bem distante do ponto de partida, não estava ligando muito para onde estava indo, apenas queria ir a algum lugar onde eu pudesse finalmente me libertar de tudo que me mantinha acorrentada a uma pessoa que eu não sou... Que eu nunca fui e nem nunca quero voltar a tentar ser.
Eu tinha os olhos úmidos, mas era apenas o vento ricocheteando em meu rosto. Em meu peito não havia nada além de um coração pulsante, e a dor?! Ah eu não sei onde ela está, mas não é dentro de mim. Eu não sentia absolutamente NADA e até me sentia um pouco mal por isso, era o fim de um relacionamento de alguns anos que significou muito, ou pelo menos eu acho que sim, afinal nós iríamos nos casar, mas agora eu o vejo apenas como mais um dos meus “fracassos”... Tanto faz. Quem se importa com isso?! Eu, com certeza, não!
Já estava um pouco distante da parte movimentada de Los Angeles, seguindo para a mansão da Anna Oliver que ficava num local isolado na costa leste da cidade. Nunca entendi essa mania que gente rica tem de construir casarões no meio do nada, mas isso não vem ao caso, antes de seguir pra lá eu ainda precisava me livrar de uma coisinha pesando mais do que o necessário na minha consciência...
Parei o carro em frente a um desses barzinhos quaisquer de beira de estrada, não conhecia o lugar e provavelmente nenhum dos frequentadores me reconheceria também... Digamos só que eu acho que o meu estilo musical não é muito popular entre os motoqueiros. Desci do carro e entrei no local, uma pequena sineta anunciou que tinha alguém entrando, mas como eu já esperava ninguém se deu ao trabalho de parar o que estava fazendo para ver quem havia chegado.
Corri meus olhos pelo local rapidamente, era como se eu tivesse entrado em um museu dos anos 70 ou num tributo a bandas antigas de Rock, a decoração era muito característica, eles até tinham uma daquelas máquinas aonde se coloca uma moeda e pode-se selecionar uma musica de um L.P antigo. Caminhei até o balcão e chamei o garçom que deveria ser também o dono do local.
– Quanto o senhor me daria por isso?! – Tirei do meu dedo o meu anel de noivado e arremessei-o sobre o balcão. Mais dia menos dia eu teria que me livrar dele mesmo, por que não fazer isso agora e em grande estilo?!
 *Só o anel de noivado.

O homem um pouco assustado apenas pegou o anel sobre o balcão e o avaliou um pouco, depois o colocou de volta sobre o balcão e me encarou.
– Uns R$ 20,00 dólares! – Disse. Eu sorri imaginando o quanto o Liam deveria ter gasto naquela coisinha. Conhecendo-o bem e sabendo do seu ego desmedido eu tinha certeza de que ele deveria ter gasto nele pelo menos uns milhõezinhos, dois, talvez até três... Vinte dólares me pareceu um valor bem razoável por ele agora.
– Vendido! – Disse alargando o meu sorriso. O dono do bar deveria estar achando que eu sou louca ou no mínimo que tinha roubado aquele anel de alguém... Mal sabia ele é que quem me deu aquele anel tirou muito mais de mim do que um dia poderia me devolver.
Pedi uma cerveja e passei mais um tempinho ali, apenas pensando, lembrando de tudo que tinha acontecido comigo a algumas horas atrás.
Flash Back On
Como eu impus ao Liam que queria vê-lo, ele me chamou para ir até o hotel em que ele estava hospedado. Eu estava irritada por ele não ter me avisado que estava na cidade, afinal é o que se espera de um namorado, que ele pelo menos te deixe informada do seu paradeiro. Porém o que realmente me deixou mais desconcertada foi a saída dele as escondidas com meu pai; é obvio que eu não achava que ele tinha alguma coisa haver com a historia do acidente, mas de qualquer forma, que motivo ele tinha pra sair com meu pai?! Os dois nunca se deram bem, que assuntos poderiam ter a tratar?!
Era exatamente isso que eu pretendia descobrir com o Liam.
Quando cheguei ao Hotel Biltmore fui direto para o saguão. Tínhamos marcado nos encontrar lá, o ambiente era grande e eu fiquei um pouco perdida quando entrei, mas logo avistei o Liam, ele estava no bar, fui até ele.
– Oi meu amor! – Ele abriu um sorriso. Eu já o conhecia bem, ele ia agir como se estivesse tudo bem e ele não tivesse feito nada demais – Nossa, você está lind...
– Sem essa, Liam! – Cortei-o impaciente – Quando você chegou a Los Angeles e por que não me disse que viria?! – Perguntei sem rodeios olhando bem no fundo de seus olhos azuis.
– Miles... – Ele tentou desconversar, me puxou pelo braço mais pra perto, mas eu me soltei dele mantendo a postura – Se acalma!
– Não! – Vociferei – Eu fiz uma pergunta e eu quero a resposta! – Continuei o encarando. Eu conhecia o Liam, sabia que se eu tentasse perguntar de outra maneira ele terminaria me dando a volta, com ele eu tinha que ser assim, firme.
– Tudo bem, você tem razão! – Ele disse concordando – Eu deveria ter te avisado, é verdade, mas como da ultima vez nós acabamos discutindo achei que você não quisesse me ver – Deu ombros – Sem falar que você disse que precisava de um tempo pra resolver seus problemas familiares, eu estava tentando te dar esse tempo.
Eu tive que baixar a guarda, ele me deixou desarmada com essa resposta, de fato a ultima vez que nos falamos pessoalmente não havia terminado muito bem.
Suspirei e sentei no banco ao seu lado no bar.
– Vai querer beber alguma coisa?! – Ele perguntou tentando ser gentil comigo, mas eu ainda estava intrigada, fiz que não com a cabeça e peguei um cigarro. Fiquei revirando a minha bolsa atrás de um isqueiro, mas não encontrei, então o Liam acendeu o meu cigarro.
– Por quê saiu com meu pai? – Perguntei depois de uma tragada, encarando-o – O que tinha pra falar com ele?!
Ele sorriu como se eu tivesse feito uma pergunta idiota.
– Não posso sair com seu pai?! – Riu
– Esse não é o ponto! – Disse séria – Eu só acho estranho que você e ele nunca tiveram lá a melhor das relações e derrepente descubro que saíram juntos e eu nem ao menos sabia disso! – Ele riu mais
– Tudo bem, eu vou me lembrar de ligar pra te avisar a próxima vez que encontrar o seu pai por acaso e convida-lo pra jantar por educação! – Ele rolou os olhos, estava sendo irônico.
Ótimo, era o que eu precisava pra confirmar: “Eu sou uma estúpida!” Não acredito que eu realmente vim até aqui achando que descobriria alguma coisa com o Liam, está na cara que o encontro dele com o meu pai foi um simples acaso e ao que me consta, nada agradável pra ele e eu estava fazendo uma tempestade num copo de água.
Nós dois ficamos alguns segundos em silencio, eu não sabia mais o que dizer, eu tinha vindo até aqui feito uma louca psicótica com desconfianças baseadas em nada e tinha levado o meu banho de água fria... Acho que pelo menos não ficaria pior que isso.
– Você deve estar achando que eu sou louca, né?! – Ri sem humor, ele ficou calado - Olha, me desculpa, tá legal?! – Desviei os meus olhos para algumas garrafas no bar do hotel. Nunca fui boa em pedir desculpas – Eu cheguei aqui te fazendo um monte de perguntas e exigindo respostas, mas é que tem tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo na minha vida que, - Suspirei- acho que nem to conseguindo mais raciocinar direito! – Afundei meu rosto em minhas mãos – Eu só não sei lhe dar com isso ainda, não é como se fosse um problema qualquer, é o meu pai! – Voltei a olhar para o Liam – Entende?!
Liam não disse nada apenas permaneceu me encarando, eu não sabia se ele tinha entendido o meu lado ou se estava apenas pensando em alguma coisa pra me dizer que me fizesse sentir um pouco menos idiota. E quando eu menos esperava, ele se inclinou em sua cadeira e segurou meu rosto com a ponta dos dedos, me levando a encara-lo, então aproximou seu rosto do meu e me beijou.
– Eu não te acho louca e nem me importo de ser interrogado, mas eu gostaria de sugerir um lugar bem melhor pra fazermos isso, se você deixar! – Ele disse ao quebrarmos o beijo, com um sorrisinho malicioso. Não me esquivei eu estava uma pilha com tudo que estava havendo e precisava relaxar um pouco.
Subimos para o seu quarto e mal entramos quando ele envolveu seus braços em minha cintura me arrastando pra junto dele. Eu, por minha vez, coloquei meus braços em volta do seu pescoço aproximando nossos lábios.
– Não quero que pense em mais nada agora amor, essa noite vamos ser só você e eu! – Ele sussurrou ao meu ouvido de uma maneira provocante. Eu apenas assenti, seguindo o que eu tinha começado a fazer: desabotoar a camisa dele.
(...)
 *Finjam que é o Liam.

– ...E foi quando eu encontrei seu pai na cafeteria, depois de lá nós jantamos e eu o deixei em casa. – Depois que fizemos amor, Liam estava me contando como acabou encontrando com o meu pai. Ficamos conversando abraçados na cama – Não fazia ideia do que tinha havido com ele, amanhã mesmo eu vou lá com você pra fazer uma visita!
– Você não soube do acidente?! Mas saiu em quase todos os jornais! – Eu disse passando uma de minhas mãos sobre seu peito acariciando.
– Amor, você me conhece, eu quase nunca assisto televisão e não costumo ler jornais de outros países, sem falar que eu cheguei aqui ontem, ainda nem tive tempo de parar pra respirar um pouco. – Ele corria a mão carinhosamente pela minha cintura – Ei, durante o jantar seu pai mencionou algo sobre querer ir morar com a sua irmã menor no Tenesse. Eu não sei você, mas eu não acho que seja uma boa ideia, lá é um fim de mundo, não acho que uma garota que cresceu e foi criada em Los Angeles, como a sua irmãzinha, vá gostar de trocar a cidade grande pelo interior.
– Papai já tinha comentado comigo sobre isso, – Suspirei desanimada – o problema não é nem a Noah, ela adora aquele lugar, se fosse por ela já estariam morando lá a muito tempo... O problema é a minha mãe, eu fico preocupada com ela morando sozinha aqui.
– Quem sabe ela pode ir morar com a sua irmã mais velha, a Brandi. – Sugeriu
– Você não conhece a minha mãe, ela jamais aceitaria. Ela é do tipo durona sabe, prefere fazer tudo sozinha!
– Bem parecida com alguém que eu conheço! – Ele disse rindo. Eu não ri, não sei bem por que, acabei me lembrando do que houve na gravadora e fiquei pra baixo. Liam tentou me beijar e eu me esquivei – O que você tem?
– Preciso te contar uma coisa! – Disse me sentando na cama.
– Então fala! – Ele disse se sentando também. Antes de começar a falar eu tentei achar as palavras certas, embora soubesse que elas não existiam – Miles, você sabe que pode me contar qualquer coisa, amor. – Ele incentivou.
– Perdi o meu contrato com a Hollywood Records. - Disse rápido e um pouco sem jeito – Hoje de manhã eu tive uma reunião com Davon Malonne. Cantei pra ele uma das minhas musicas novas, mas fui um fiasco! – Suspirei – Como isso era tudo que me restava estou oficialmente desempregada agora. – Lamuriei, Liam tocou meu rosto com carinho.
– Eu sinto muito por isso Miley, sinto mesmo! – Disse olhando em meus olhos – Deve ter sido muito duro pra você, mas você sabe que não tem com o que se preocupar. Você tem a mim eu sempre te disse que você não precisava mais trabalhar, eu cuido de tudo que você precisar! – Talvez o Liam até tivesse a melhor das intenções, mas só de me imaginar dependente de alguém dessa forma já me deixava desanimada. A minha época de “filhinha do papai” já havia passado há muito tempo.
– Eu sei amor, e agradeço, mas eu tenho dinheiro o suficiente pra me manter até eu conseguir uma nova gravadora, não se preocupe! – Sorri pra ele, mas Liam fechou a cara. Ele sempre fora um orgulhoso – Só estou preocupada em achar uma maneira de contar isso ao meu pai, quando ele souber vai ficar muito triste e eu não quero piorar as coisas!
– Então não conte nada a ele. Seu pai não precisa saber... Pelo menos não ainda! – Liam disse isso acariciando a minha bochecha com o polegar. Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa o celular do Liam tocou dentro do bolso do seu paletó.
Ele levantou da cama e juntou a peça de roupa caída no chão, tirou de dentro do bolso o celular e olhou no visor. Revirando os olhos, atendeu.
– Fala Chris!... – Chris é o irmão mais velho do Liam. Durante todo o tempo que passei lá na Austrália não me lembro de tê-lo visto mais de duas vezes, nem no meu “noivado” ele apareceu. Ele faz o tipo sério e misterioso. Depois que o pai do Liam morreu, ele e o irmão assumiram os também misteriosos “negócios” da família – Não, eu estou em Los Angeles, tive que resolver alguns assuntos pessoais aqui... – Eu prestava atenção à conversa – O que? Mas você quer que eu vá ainda hoje?!... Tá, tá bem então, se você já comprou agora é o jeito!... Ok, até amanhã então! – Ele desligou deixando o aparelho sobre um móvel.
– O que seu irmão queria? – Perguntei
– Ele quer que eu volte pra Sidney ainda hoje, já até comprou a passagem, acredita?! – Ele disse parecendo chateado.
– Mas por que toda essa pressa? Você mal chegou aqui! – Eu falei e Liam apenas suspirou.
– Parece que houve um problema em uma de nossas empresas. – Liam disse se levantando – O Chris é meio paranoico sabe, qualquer coisinha ele já faz alarde, mas de qualquer forma é melhor não contraria-lo, não quero que ele tenha motivos pra não me dar a minha parte nos lucros no fim do mês! – Rumou para o banheiro.
– Ah claro, porque ganhar dinheiro é muito mais importante do que passar um tempinho com a sua noiva carente! – Disse isso fazendo a minha carinha fofa de decepção, com direito a biquinho e tudo.
Liam apenas riu, refazendo a trajetória pra me roubar mais um beijo.
– Você é forte amor, vai superar! – Se fez de engraçadinho – Além do mais ainda vai estar aqui quando eu voltar, a empresa talvez não, então nesse momento ela precisa mais de mim do que você! – Antes que eu pudesse protestar ele voltou a caminhar em direção ao banheiro – Amor, sem querer abusar da sua boa vontade, mas já fazendo isso, será que você poderia colocar as minhas coisas dentro da mala? Eu não a desfiz, mas tem alguns casacos e objetos pessoais espalhados pelo quarto.
– Ta ok! – Eu disse me levantando e dando uma olhada pelo quarto pra ver por onde estavam as coisas do Liam.
Depois de já ter guardado algumas coisas me deparei com um casaco que estava jogado no sofá da salinha que havia na suíte do Liam. “Como ele é bagunçado!” pensei, mas quando fui até a peça percebi que se tratava de um casaco feminino. O mais intrigante era que aquele casaco não me era estranho, eu já tinha visto alguém com ele... E o perfume nele, um perfume forte e muito marcante, me era familiar.
Puxei na minha memória tentando me lembrar com quem eu já tinha visto um casaco igual aquele, mas eu não conseguia. Também me perguntava o que estaria fazendo um casaco de mulher no quarto do meu noivo... Desconfiada, comecei a revirar revirei os bolsos, procurando alguma coisa, sei lá, qualquer coisa... Algo que pudesse me dar indícios de quem seria a dona daquele bendito casaco.
Terminei por achar em um dos bolsos um comprovante de reserva em um restaurante, uma reserva de jantar para dois no Versailles, um dos restaurantes mais finos de Los Angeles. O canhoto estava em nome de Liam Hemsworth e... Delta Goodrem?!
Ao ler o nome daquela vaca eu lembrei, no dia em que eu a vi almoçando com o Nick ela estava usando esse casaco.
Corri meus olhos pelo papel em busca de mais evidencias, e além do valor altíssimo que deu a conta, havia sim mais algumas informações sobre o jantar “romântico” do meu noivo com aquela vadiazinha de quinta, tipo a data em que ele aconteceu, há três dias.
Isso não fazia nenhum sentido. Liam tinha dito que chegou ontem, como então estaria aqui dois dias antes disso jantando com uma vagabunda?!
Enfureci-me, ele estava mentindo pra mim. Se não mentiu agora mentiu antes e isso não interessa porque de qualquer forma ele mentiu, sem falar no que implica esse tipo de mentiras... Traição!
Eu sabia que estava certa, sempre desconfiei dele e daquela mulherzinha, mas agora mais do que nunca eu precisava ter absoluta certeza... Eu queria ter certeza!
Deveria ter algo dentro daquele quarto que confirmasse as minhas suspeitas, foi quando num estalo eu lembrei do celular do Liam que pareceu até reluzir em cima de um móvel. Nele deveria ter alguma coisa a respeito disso, Liam não podia ser tão esperto sempre, todo mundo falha de vez em quando.
Vasculhei o celular inteiro, meu plano original era achar o numero da Delta e quem sabe ligar pra ela tentando me passar pelo Liam, mas nem foi preciso, quando abri a caixa de mensagens do Liam havia pelo menos umas quinhentas daquela mulherzinha, todas elas tão sórdidas quanto a autora, coisas do tipo “Saudades de você aqui na minha cama, seu gostoso!” e eu estou citando a única apropriada para menores de 18 anos...
Até onde eu sei Liam e Delta se conhecem há muito tempo. Sabe-se lá desde quando eles mantêm esse caso e eu sirvo de idiota para os dois. Deixei algumas lágrimas escorrerem pelo meu rosto.
“Por que ele tinha feito isso comigo?”
“Por que eu precisava descobrir isso justo agora?!”
– Ainda bem que eu não tinha desfeito as malas ainda, senão... – Liam vinha saindo do banheiro, só com uma toalha enrolada na cintura, quando me viu com o celular dele nas mãos – Miley, o que você tá fazendo?! – Ele veio logo tirar o aparelho de minhas mãos me encarando bravo.
Limpei as lágrimas rapidamente – Desde quando você está tendo um caso com a vadia da Delta Goodrem?! – Perguntei meio que em um sussurro, mas sei que ele ouviu.
– D-do que, mas do que você tá falando? – Percebi que ele tinha ficado nervoso e a minha paciência também já tinha ido pro brejo.
– Você sabe muito bem do quê! – Eu disse atirando nele o casaco da vagabunda – E eu também vi as mensagens sórdidas que vocês trocam: “Estou com saudade de você aqui na minha cama, seu gostoso”! – Ironizei
– Miley, eu posso te explicar! – Ele tentou me segurar com aquelas mãos nojentas, me livrei delas imediatamente.
– Ah, mas é claro que pode! – Continuei no mesmo tom de ironia – Assim como você também deve poder me explicar como fez para levá-la pra jantar na terça-feira, se só chegou aqui ontem!
– Miley... Eu não sei nem do que você tá falando! – Continuou mentindo, o desgraçado.
– Ah não?! Então você tá me dizendo que não sabe que jantou com aquela vagabunda no Versailles?! E com certeza você também não sabe que já estava aqui em Los Angeles na terça-feira, não é?! – Apertei o papelzinho em minhas mãos com força por causa da raiva - Mas espera, então que é isso?! – Mostrei o comprovante - Tem um comprovante aqui que mostra que você realmente estava aqui, que esteve lá, jantando com ela! – Balancei o pequeno papelzinho em minhas mãos para que Liam soubesse que eu estava ciente de tudo que tinha acontecido – Nem tente dizer o contrario Liam, tem o seu nome nele e a sua assinatura já que foi você que pagou a conta! Claro o que mais eu podia esperar de um exímio cavalheiro?! Muito gentil da sua parte! – Vociferei, pegando a minha bolsa, já me preparando pra sair dali.
– Miley, espera aonde você vai?! – Liam tentou me segurar, mas eu não permiti.
– Pra qualquer lugar bem longe de você, seu cretino! – Saí e bati a porta, é obvio que o Liam veio atrás de mim, tentando me fazer acreditar em toda a ladainha de que ele e Delta eram apenas amigos, uma completa perca de tempo da parte dele. Se tem uma coisa que eu não perdoo é traição. Se você não é capaz de respeitar e ser fiel a alguém é por que você não o ama verdadeiramente e se não existe amor não faz sentido manter um relacionamento... – Já chega Liam, estou farta das suas mentiras, acabou!
– Tá bem, tudo bem, então você quer que eu admita?! Tá certo, eu admito... Eu menti, e eu tive mesmo um envolvimento com a Delta, mas acabou Miley, inclusive no jantar eu deixei bem claro que eu não queria mais nada com ela, porque eu amo você, minha linda! – Liam realmente era um ótimo ator, qualquer um acreditaria que o que ele está dizendo é realmente o que ele sente!
– Ah claro, você me traiu, mas eu devo me dar por satisfeita porque você deu o seu pequeno caso por encerrado apenas alguns dias atrás! – Sorri ironicamente – Deixa só eu esclarecer dizer uma coisinha Liam, um detalhe ao qual você não deve ter dado muita atenção, mas que eu dei. Eu achei o canhoto da reserva no casaco da Delta. Se vocês tinham mesmo terminado o casinho de vocês naquela noite como foi que o casaco dela veio parar no seu apartamento?! – O encarei cruzando os braços mostrando o quanto irredutível eu estava aquele assunto.
- ...er...
- É, essa é mesmo uma ótima explicação!  - Passei por ele, deixando-o falando sozinho – FDP desgraçado! – Murmurei, com muita raiva.
A vida era mesmo engraçada, em pensar que há meia hora eu estava na cama desse cafajeste ouvindo as suas falsas juras de amor... Só de pensar nisso agora o meu estomago revirava.
Como eu pude ter sido tão burra?!
Apertei o botão do elevador, dentro de segundos a porta se abriu. Eu via nos olhos do Liam que ele não queria que eu fosse embora assim desse jeito, mas ele deveria ter pensado nisso antes de me trair e ainda por cima tentar mentir pra mim.
– Miles, amor... - Ele correu até o elevador e parou na porta, segurando-a para que não fechasse - Ela foi apenas um passatempo, é você quem eu amo. Você não sabe o que você significa pra mim?! – Liam olhou no fundo dos meus olhos. Se fossem outros tempos, talvez eu até tivesse perdoado, mas hoje, depois de ver o que ele era capaz de fazer comigo, a pessoa a quem ele dizia tanto amar, eu já não o enxergava mais do mesmo jeito de antes.
– Agora eu sei! – Disse tirando as mãos dele da trava da porta e empurrando-o para fora do elevador.
A porta se fechou e eu fechei os olhos tentando apagar a lembrança dos últimos acontecimentos.
Deixei o hotel sem nem olhar pra trás...
Flash Back Of
Bebi mais um gole da minha cerveja. Mentiras, problemas, separações, até quando isso tudo iria durar?! Olha que eu nunca fui de reclamar não, mas a minha vida anda tão escrota que eu estou começando a achar que alguém lá em cima não gosta muito de mim...
Rolei os olhos enquanto desencostava o gargalo da garrafa dos meus lábios. Fazer o quê?! Vendo pelo lado bom, pelo menos eu tinha me livrado de um futuro péssimo casamento essa noite, ah e é claro, de uma eternidade fadada a ser a esposinha perfeita, na casinha perfeita e blá blá blá... Nunca fui o tipo perfeita. Na verdade, nem sei dizer que tipo de pessoa eu realmente sou, apenas sei que não sou a bonequinha tão facilmente manipulável que o Liam acha que eu sou. Talvez eu tenha passado essa imagem a ele em todas as vezes que eu cedi às vontades dele deixando as minhas de lado, só para manter um bom relacionamento... Que grande bobagem!
Eu já deveria saber por experiência que isso terminaria do jeito que terminou.
Até aqui eu tinha aberto mão de muitas coisas, chorado inúmeras vezes e até me reprimido, deixando de lado os meus próprios sonhos por pessoas que nunca valeram a pena, nunca mereceram se quer um pingo do meu amor e Liam não fugia a essa descrição, muito pelo contrario, agora eu via que ele não era nada do que eu pensei ser... Era apenas mais um dos cafajestes desgraçados com quem eu já namorei. Mas a partir de hoje tudo seria diferente. Eu não estava mais disposta a me deixar ser usada por quem quer que fosse. Eu seria eu mesma acima de qualquer outra coisa e quem me quiser vai ter que me aceitar do jeito que eu sou. Sei que pode ser difícil no começo, mas tem coisas na vida que só nos mesmos podemos fazer pela gente, e eu faria isso por mim, eu me devia isso!
– Por favor, me arruma uma ficha para aquela maquina alí! – Pedi ao garçom e ele colocou uma ficha sobre o balcão. A máquina ficava perto de onde alguns caras estavam bebendo cerveja e jogando sinuca.
Caminhei até lá tranquilamente. Hoje seria o meu recomeço e nada melhor pra isso do que uma trilha sonora bem a minha cara. Coloquei a ficha na máquina e selecionei um CD muito antigo da Joan Jett. Escolhi a música I Love Rock N Roll, uma das mais famosas dela, eu simplesmente tinha uma adoração por aquela música, era de longe a minha preferida!
Antes da música começar a tocar eu pude ouvir um pouco da conversa dos motoqueiros. Um deles, que só pra constar era bem grande, estava falando de sua moto, uma Harley Davidson Rocker 850. Ao que parece ele queria vender, mas não tinha conseguido um comprador, bom, pelo menos foi isso que eu entendi.
Enquanto eu ficava ouvindo a minha música fiquei imaginando as possibilidades... Eu nunca tinha tido uma moto, mas sempre gostei da sensação do vento soprando em meu rosto e da adrenalina, da alta velocidade, talvez estivesse mais do que na hora de eu ter uma.
Sem medo, me aproximei da mesa dos caras.
– Me desculpe, mas não pude deixar de ouvir, você quer vender sua moto e eu fiquei interessada, talvez esteja disposto a negociar?!
(...)
– Tem mesmo certeza disso, moça?! – O motoqueiro me perguntava mais uma vez, com essa era a quinta vez. Em troca da moto eu havia lhe dado a minha Mercedes. Algumas pessoas diriam que fiz um péssimo negócio... Ah que se dane! Pelo menos eu tenho uma desculpa, estou bêbada!
– Certeza absoluta! – Disse pegando o capacete e as chaves e subindo na “minha” moto.
– Muito bem! – O homem rolou os olhos, tipo quem diz “Essa daí é maluquinha!” – Isso aqui é o acelerador, - Ele apontou – conforme você for querendo mais velocidade é só gira-lo e ir passando as marchas – Apontou também para a caixa de marchas – Não menos importante aqui fica o breque – Apontou – que é a embreagem e por último e mais importante pra você, aqui é o freio! – Aqui tá o manual, pra qualquer emergência, no mais é só sair dirigindo! – Sorriu
– Tá certo! – Eu disse ligando a moto. Aquilo me deu uma sensação nova, era como quando eu andava a cavalo, só que melhor. Eu fiz exatamente o que o cara disse e acho que me saí muito bem, pelo menos ninguém perceberia que aquela era a minha primeira vez montada numa moto.
(...)
Em segundos eu havia chegado à mansão de Anna, e olha que ela nem era tão perto assim. Meu coração pulsava forte ainda quando parei em frente ao local. Pela quantidade de veículos estacionados ali supus que a festa estava lotada. Sorri imaginando que muitos dos convidados deveriam ser bem gatos, o que era perfeito. Eu estava louca para bagunçar alguns corações essa noite.
Ainda de longe pude avistar a anfitriã da festa e algumas amigas dela paradas na porta, provavelmente recepcionando os convidados. Antes de descer da moto tirei o capacete e dei uma checada no retrovisor, a minha maquiagem forte e preta continuava intacta, assim como o meu batom vermelho vibrante muito bem delineado. Eu usava botas de cano ultra longo pretas e uma micro-saia de cintura alta da mesma cor. Na parte de cima apenas uma espécie de jaqueta feita com paetês dourados, como a minha lingerie era meio que um espartilho, nem me dei ao trabalho de colocar uma camiseta.
 *Maquiagem e look da Miles

Pude ouvir algo como “Quem foi que chegou nessa moto? Olha só, é uma garota, quem será ela?!” enquanto eu me aproximava da entrada da casa. Devo mencionar que as três moças paradas à porta ficaram bastante impressionadas ao descobrirem que a motoqueira era eu.
– Miley?! – Anna não disfarçou estar surpresa por me ver – Oi! Nossa, tá gatona! Mas eu não achei que realmente viesse... – Ela comentou enquanto me dava um curto abraço – De qualquer forma estou feliz que resolveu aparecer!
Dei de ombros – Eu estava de bobeira lá em casa... – Disse com um pouco de descaso – Pelo menos aqui eu me distraio um pouco! – Olhei para as duas amigas de Anna e percebi que também as conhecia – E aí Jen?! Tudo bem com você? – Dei um curto abraço em Jen Talarico – E você Kelly, como vai? – Também cumprimentei Kelly Osbourne.
*Música que tava tocando na festa

Entramos no salão da casa, a festa estava literalmente pegando fogo. Havia uma pista de dança e o som estava altíssimo. Jogos de luzes vermelhos e maquinas de fumaça, assim como vários telões mostrando imagens de chamas, davam ao ambiente um aspecto infernal de tão quente. Nós quatro rumamos ao bar, lá encontramos mais um conhecido, Cheyne Thomas. Iniciamos uma conversa comum e Anna nos ofereceu uma bebida, uma tal de caipirinha que ela tinha comprado em uma de suas viagens ao Brasil. Não vou mentir, o gosto não era dos melhores, mas depois de umas três doses você acostuma.
– Não gente, vocês ouviram falar da Demi Moore?! – Jen era quem falava na rodada agora – Cara, aquela mulher é louca, como ela pode deixar o gatão do Ashton Kutcher escapar?!
– Bem vinda a Hollywood, minha filha! – Encarei o liquido esverdeado dentro do meu copo enquanto Cheyne fazia um pequeno discurso. – Lugar onde os relacionamentos nunca duram. Se tem uma coisa que eu aprendi aqui é que se alguém diz que te ama... Tenha medo, muito medo mesmo! – Todos riram do comentário bastante verdadeiro dele.
– E a boa noticia pra nós, garotas, é que agora o Ashton está solteiríssimo e esperando pela sua próxima esposa! – Kelly dizia animada – Sinceramente, eu não me importaria em ouvir um “eu te amo” falso do Ash, contanto que eu pudesse usar e abusar daquele corpinho gostoso dele! Oh Céus, eu sinto orgasmo só de imaginar!
– Parece que você não é a única aqui na festa querendo usar e abusar do corpitcho de alguém, Kelly! – Anna apontou discretamente para um cara. Ele era alto, cabelos negros, mas com a pele bem clara. Seus olhos eram de um azul profundo – O Logan não parou de secar a Miles um segundo se quer desde que viemos pra cá!
Depois do aviso da Anna eu reparei, e bem, ela estava certa. O carinha, o tal do Logan, estava mesmo de olho em mim.


– Por que será que os mais gatos sempre preferem as loiras?! – Jen soltou um suspiro frustrado.
– Qualé minha filha, você acha mesmo que ele perdeu tempo reparando isso?! – Kelly revirou os olhos – Ele tá de olho é nos pernões da bonita! – Ela riu pra mim – Mas também, maldade sua né Miles, vim pra cá com uma sainha dessas, você tava querendo maltratar!
Eu ouvia tudo que eles diziam, mas os meus olhos estavam fixos nos olhos do rapaz do outro lado da sala.
– Você vai continuar com a tortura ou vai lá falar com ele, Miley?! – Nem bem Anna terminou a frase eu já estava praticamente no meio do salão caminhando em direção ao tal Logan, que assim que viu que eu me aproximava mordeu os lábios, vindo ao meu encontro.
– Oi... – Eu cumprimentei primeiro, chegando perto o suficiente para dar a liberdade de ele poder ter segundas intenções.
– E aí... – Sem cerimônia, ele colocou suas mãos sobre a minha cintura já me puxando pra perto. Olhamos-nos por alguns segundos e então colamos nossos lábios.
A música no local era envolvente, o jeito como ele me segurava era caloroso e o beijo era bom. Não senti absolutamente nada, mas foi legal.
– Sou Miley. – Disse quando quebramos o beijo.
– Logan. – Ele deu um risinho
– Foi um prazer! – Falei
– Que isso, o prazer foi todo meu! – Eu apenas me soltei do Logan voltando a caminhar por entre as várias pessoas naquela pista de dança.
– Ei, espera, Miley?! – Deixei o cara falando sozinho, tadinho... Apenas o primeiro dessa noite!



Narrado por Nick
Los Angeles, Califórnia, 21:57 PM (Minutos atrás) Apartamento do Nick.

Eu havia chegado há pouco tempo em casa, desde que cheguei me joguei no sofá e fiquei pensando nos últimos acontecimentos. De repente a minha vida havia virado de cabeça pra baixo e eu estava como o principal suspeito de uma tentativa de homicídio... Como eu fui me meter nisso?!
Até pensei em ir ao hospital ver como o Billy está se acordou bem, mas achei melhor não fazer isso agora. Depois de todo aquele interrogatório na delegacia a minha cabeça está explodindo, lá eles não te fazem perguntas normais, eles te persuadem de um jeito que você é capaz de confessar até o que não fez. Ainda bem que o Josh é esperto e me arrumou um bom advogado. E por falar no Josh, até ele acha que eu fiz mesmo aquilo com o Billy, a pior parte é que eu estava tão bêbado que mal consigo lembrar o que de fato aconteceu naquela ocasião...
Ainda estava imerso em meus pensamentos quando derrepente, do nada, dois pirralhos invadem a minha sala correndo e gritando, fazendo a maior algazarra.
– Nick, Nick, você precisa me ajudar! – Noah parou bem a minha frente bastante ofegante, Frankie estava ao seu lado do mesmo jeito.
– Tá bem, mas primeiro me expliquem o que foi que aconteceu, - Tentei acalmá-los, os dois estavam muito agitados – tem alguma coisa errada com a Mell ou a Jenny? – Fiquei preocupado – E por falar nelas, onde estão e cadê a Mandy, por que não está tomando conta de vocês?
– Ela está lá na casa da Noah, com a Mell e a Jenny , elas estão bem! – Frankie falou – O problema é outro!
– O problema é a Miles, Nick! – Noah me encarou – Ela saiu lá de casa agora pouco, estava muito estranha e eu fiquei preocupada. Tentei ligar para a mamãe pra ela fazer alguma coisa, mas ela não atende o telefone! – Realmente a Tish não atenderia, devia estar no Hospital cuidando do Billy.
E agora mais essa, a Miley do nada resolve sumir também!
– Vocês já tentaram ligar para a Miles?! – Perguntei inquieto – Ou pelo menos fazem ideia de onde ela possa ter ido?
– Como se ela realmente fosse atender o celular! – Noah revirou os olhos – Quando a Miley tá com a macaca ela simplesmente esquece o resto do mundo! – Bufou
– Ótimo! – Ironizei – Assim fica difícil fazer qualquer coisa! – Disse já puxando do bolso o meu celular e tentando ligar para a Miley – Só cai na caixa postal... Ela não disse nada sobre pra onde iria?
– Nadinha! – Noah balançou a cabeça negativamente.
– Eu acho que ela foi a uma boate, ou talvez a uma festa! – Disse Frankie revezando olhares entre mim e Noah, que o encarou – É serio gente! Bom, pelo menos pelas roupas que ela tava usando tá na cara que ela foi pra um lugar desse tipo, porque na boa, ninguém vai de sainha e decote para uma igreja... – Ele disse rolando os olhos. Graças ao comentário de Frankie acabei formando uma imagem da Miley com uma roupa nada descente em minha mente, espero eu que ela não tenha saído do jeito que eu imaginei!
De qualquer forma essa garota só pode ter perdido o pouco juízo que tinha. Com pai dela passando por uma situação tão complicada, ela resolve simplesmente ir se enfiar numa festa?! Só pode ser louca mesmo!
– Nick, você vai atrás dela não vai?! – A menina me encarou com aquele par de olhos azuis, tão azuis quando os da irmã transloucada que ela tem.
– Eu não sei se posso fazer isso Noah, não sabemos onde a sua irmã está e eu nem ao menos estou de carro... – Ela me interrompeu
– Nick, por favor, você tem que ir atrás dela! - Ela implorou – Tenho medo que aconteça alguma coisa com a minha irmã. Você é o único que ela escuta! – Até parece! – Sei que você é o único que consegue trazê-la de volta pra casa sã e salva! – Suspirei, por que essa menina precisava ser assim tão persuasiva?!
– Olha, vamos fazer o seguinte, eu vou ligar para o Josh e se ele quiser me emprestar o carro dele, então eu vou atrás dela!
Narrado por Josh
Los Angeles, Califórnia, 22:13 (Horário Local), Salão do Salgado, bar de motoqueiros.
*Finjam que o cara quase batendo no Josh é careca.


Um brutamonte careca usando calcas de couro bem justas estava agarrado ao meu colarinho me levantando alto o suficiente para os meus pés não conseguirem tocar o chão... Como eu consegui me meter em uma encrenca dessas, você deve estar se perguntando, bom, eu vou resumir pra vocês em duas palavras: Miley Cyrus!
Tá bem, deixa eu explicar melhor, pra isso vou precisar de um pequeno e rápido Flash Back...
Flash Back On
Eu a estava seguindo, de longe é claro, e numa hora acabei perdendo-a de vista, pois do jeito que aquela maluca dirigia não sei nem como conseguiu tirar carteira! Bom, mas voltando ao que eu dizia, quando a perdi de vista pensei em desistir de segui-la, mas eu já estava longe do centro de Los Angeles então decidi seguir no rumo, mais cedo ou mais tarde eu iria encontra-la, ela não ia simplesmente desaparecer no ar!
Depois de algum tempo dirigindo em uma estrada escura e mal cheirosa eu avistei um bar e na frente do bar o que eu vejo? Nada mais nada menos do que uma certa Mercedes branca, pertencente a moça em questão. Logo eu fico feliz por tê-la encontrado e decido parar pra tentar, quem sabe, conversar com a Cyrus, acalma-la um pouco, convencê-la a não sair por aí tentando se matar ou matar alguém de carro.
Eu todo confiante, como sou por natureza, entro no bar com um sorriso, olho aos redores, mas não vejo a Cyrus e então inocentemente pergunto:
– Alguém aqui viu a dona da Mercedes branca estacionada ali na frente?! – Perguntei em alto e bom som, foi quando o brutamonte careca e todo tatuado se levantou me encarando com fúria.
– Como é que é?! – O cara estalou os punhos e eu me senti um pouco intimidado.
– S-Sim, a dona do carro, u-uma loirinha, mais ou menos dessa altura – Fiz a medida – E-Eu preciso falar com ela! – Detalhe, alguns caras do bar riam como se eu estivesse contando alguma piada e isso só deixava o meu “amigo” careca ainda mais nervoso.
– Escuta aqui oh gorducho – Foi aí que ele me segurou pelo colarinho me levantando – o DONO daquele carro lá fora sou eu! – Ele vociferou – O que você poderia ter pra falar comigo heim?! – Xiiiiiiii agora sim ferrou!
Flash Back Of
E cá estou eu, nessa situação embaraçosa. Eu tava morrendo de medo de tomar uns sacodes do irmão gêmeo do Mike Tyson a minha frente, mas antes que ele pudesse tomar essa iniciativa o meu celular tocou...
– Da uma licencinha! – Atendi, era o Nick.
Ligação On
– Fala Nick! – Eu disse tentando não demonstrar nervosismo.
– Josh, cara, eu to precisando urgente do seu carro, será que dava pra você quebrar esse galho pra mim?! – Ele perguntou.
– Olha Nick, dar até dava, mas é que no momento eu to meio que ocupado sabe, tenho um compromisso! – Disse rolando os olhos vendo o fortão fechar mais a cara a cada frase que eu trocava com o Nick.
– É sério cara, eu to com um problema, é caso de vida ou morte! – Nick insistiu – A Miles sumiu e eu preciso encontrá-la antes que ela faça alguma besteira! – Pelo tom de preocupação do Nick, pude ver que ele ainda é completamente apaixonado por essa garota... Fala sério, Nick Jonas preocupado com alguma coisa na vida? Eu pensei que morreria sem ver isso!
– Tá, eu, eu vou ver o que faço por aqui e daqui a pouco apareço por aí, agora tchau! – Nick ainda ia falar mais alguma coisa, mas eu desliguei na cara dele.
Ligação Of
– Onde foi que paramos mesmo?! – O grandão me encarou
– Olha cara, será que você não podia me liberar dessa, só dessa vez... É que tem um amigo meu, ele é completamente apaixonado por uma garota, uma doida de pedra e eu preciso ajudar ele sabe, eu nem aprovo tanto esse relacionamento porque aquela garota consegue virar a cabeça do Nick, mas fazer o que... Eu sei que é amor! – Eu acho que não consegui ser tão convincente, pois o cara a minha frente não mudou nem um pouco de expressão.
– Solta ele Will! – Um outro cara também vestido em roupas de couro, mas bem delicado, se é que me entendem, falou para o grandão enquanto lixava as unhas – Você ouviu o rapaz, é amor verdadeiro! Em amor verdadeiro a gente não deve interferir! – O moço deu uma risadinha – A minha vida inteira eu sonhei com esse tipo de coisa acontecendo comigo sabe, mas nunca aconteceu!
O grandão imediatamente me soltou virando toda sua atenção para o que lixava as unhas.
– Nem mesmo quando nos conhecemos?! – Ele perguntou – Eu pensei que o que tínhamos era especial! – E aí começou uma DR na qual eu não preciso entrar em detalhes.
Aproveitei-me do momento muito oportuno para dar no pé já que todos estavam entretidos com o excêntrico casal. Peguei o meu carro e rumei até a casa do Nick.
(...)
– Até que em fim você apareceu! – Nick disse impaciente já entrando no carro. Só pra constar ele e mais duas crianças estavam do lado de fora da casa dele, acho que me esperando – E quanto a vocês dois eu quero que vão para a casa da Noah, assim que eu encontrar a Miley eu vou leva-la pra lá! – Nick disse às crianças.
– Mas nem pensar! – A menina de olhos azuis protestou – Eu não arredo o pé daqui enquanto você não voltar com a Miles! – Ela cruzou os braços.
– Noah, você sabe muito bem que isso pode demorar, eu nem ao menos sei onde a maluca da sua irmã se enfiou! – Nick disse meio frustrado – Frankie, fala com ela, vai! – O garotinho revirou os olhos.
– Noah, você não quer passar a noite toda esperando pela Miles aqui fora, nesse frio, quer?! – Ele perguntou.
– Não, mas se for necessário eu faço! – A menina bateu o pé
– É, mas acontece que não é! – Nick disse sério – Faz assim então, você e Frankie me esperam voltar lá em cima no meu apartamento, mas ei, sem nenhuma bagunça, os dois vão ficar sentadinhos no sofá me esperando voltar, entenderam bem?! – Somente o garoto assentiu, a menina parecia decidida a não deixar seu posto – Anda logo Noah, não quero que você termine ficando resfriada!
– Você vai trazê-la de volta, não vai?! – Ela perguntou a Nick um tanto melancólica, ele apenas assentiu e ela o abraçou rapidamente antes de entrar com o garoto.
Depois disso Nick e eu colocamos o pé na estrada. Contei a ele sobre eu ter seguido a Miley e onde eu acabei indo parar por causa disso, ele pediu para irmos até aquele bar.
– Tem certeza que é o carro dela, Josh?! – Ele perguntou enquanto olhávamos para o veículo estacionado em frente ao bar do outro lado da rua.
– Tenho sim Nick, sem duvida aquele lá é o carro dela!
– Isso só prova uma coisa, que ela esteve aqui! – Nick disse ainda olhando para o carro
– Isso eu já saquei né Nick, mas pra onde ela poderia ter ido daqui?! Isso aqui é uma estrada quase deserta, se não fosse pela mansão de um ricaço que tem uma filha sem noção que dá umas festas loucas, seria completamente deserta! – Eu esbravejei – E voltar a Miley não voltou isso eu posso garantir!
– Espera, de quem é a mansão que tem no fim da estrada, Josh? – Nick me encarou
– Ah é de um banqueiro ricaço, eu não lembro o nome dele agora, mas o sobrenome é Oliver!
– Ah não fala sério! – Nick pareceu ficar furioso ao ouvir o que eu disse – Josh corre pra lá agora, anda!
Narrado por Miley.
Los Angeles, Califórnia, 23:39 PM (Horário Local) Mansão de Anna Oliver.
– Você vem sempre por aqui? – Um carinha até simpático me perguntou enquanto eu estava sentada no bar.
– Nem sempre! – Respondi já me preparando pra me levantar, o abusado me segurou pelo braço.
– Tem uns caras por aí dizendo que você é a gata mais “quente” nessa festa! – Se aproximou de mim para sussurrar em meu ouvido – E eu também ouvi por aí que você está caçando! – Virei-me para olha-lo lentamente, enrolando uma mecha do meu cabelo no dedo e um sorrisinho em meus lábios.
– E sabe – Me aproximei mais dele quase colando nossos lábios – eles estão certos! – Me afastei novamente – Mas eu escolho o meu alvo! – Puxei meu braço e saí do bar.
Fui direto para a pista de dança, é claro que a essa altura eu já estava bem altinha, tinha bebido muito e me divertido bastante também. É bastante satisfatório ver as caras de bobos desses caras quase me comendo com os olhos... Idiotas!
Não havia um alí que não fosse capaz de dar tudo o que tem só pra ter uma chance comigo. Mas essa noite não era deles, era minha e eu escolheria a dedo os meus alvos, apenas “passatempos”, dos quais eu nem lembraria no dia seguinte. Devo admitir que isso tem mesmo um lado divertido, agora sei por que os homens fazem isso!
Tava tocando uma música eletrônica qualquer bem animada até, mas geral foi à loucura quando começou a tocar TheWanted - Glad You Came em um remix muito louco feito pelo DJ da festa. O chão parecia tremer com tanta gente dançando na pista, era uma sensação enlouquecedora estar aqui, mas ao mesmo tempo ótima.
– Ora, ora, ora, quem temos aqui? – Alguém falou rente ao meu ouvido - Miley Cyrus! – Me virei imediatamente para ver quem era.

– Tom?! – Encarei o namorado da Anna.
– Eu mesmo! – Deu um sorrisinho me olhando de cima a baixo – Fazia tempo que você não aparecia, heim boneca?! Tava com saudade! – Ele disse piscando e eu apenas revirei os olhos. Não era de hoje que o Tom arrastava uma asa pro meu lado, na verdade ele arrastava asa pra qualquer uma que desse trela! – E aí, ta a fim de se divertir de verdade? – Com “se divertir de verdade” ele estava querendo dizer se drogar.
– Não Tom, não curto mais essas porcarias! – Disse já me preparando pra sair de perto dele, eu não tinha nada pra ficar falando com aquele cara.
– Ta ok! – Ele levantou as mãos tipo quem diz “eu me rendo”. Revirei os olhos e comecei a caminhar para outra área da festa – Hey Miles, a gente se vê!
Ignorei-o e segui para a área da piscina, não havia tanta gente assim por lá. Eu achava que já estava dando na minha hora, tinha bebido o bastante pra ficar de ressaca três dias seguidos.
Caminhei um pouco na beira da piscina, hora ou outra, Liam e as memórias de tudo que aconteceu hoje tentavam voltar a minha mente, mas eu as afastava, bebendo ainda mais. Se seguisse nesse rítimo eu não lembraria nem quem sou, quanto mais de memórias estúpidas!
– Droga, acabou! – Eu disse percebendo que a garrafa que em minhas mãos já estava vazia. Sentei-me nas escadas da varanda da casa da piscina, apenas olhando para água, perdida em meus próprios pensamentos.
– Alguém tá parecendo tão tristinha! – O chato do Tom sentou ao meu lado.
– Na boa, você não tem nada melhor pra fazer não heim?! – O encarei
– Na verdade até tenho, mas não sou tão insensível assim pra ver uma garota deprimida e simplesmente ignorar! - Ele deu uma golada numa garrafa de bebida e me entregou uma outra que eu apenas deixei na escada ao meu lado – E então, por que essa carinha, problemas?
– Muitos! – Eu disse relutante, não acreditava que eu iria realmente me abrir com o Tom, mas se ele estava disposto a me ouvir né... – Aliás todos! – Suspirei
– Deixa eu adivinhar, brigou com o namorado? – Ele chutou
– Eu não tenho namorado! – Quase berrei. Peguei a garrafa de bebida ao meu lado em minhas mãos – Terminei com meu noivo um pouco antes de vir pra cá! – admiti.
– Ta aí um problema! – Tom disse rolando os olhos – Mas qual é, você é a Miley Cyrus, arruma outro rapidinho!
– E quem disse que eu quero outro?! – Revirei os olhos bebendo um pouco do líquido contido na garrafa que o Tom me deu – Tá muito bom eu sozinha! – Depois de ter bebido quase a metade da garrafa a minha cabeça, de repente, começou a ficar pesada e o meu corpo meio dormente. Tentei me levantar, mas eu parecia muito tonta, mais do que se eu tivesse bebido o triplo do que eu bebi.
Vi Tom se aproximar de mim, de inicio achei que ele estava tentando me ajudar a levantar, mas não era isso, ele estava me levando com ele para dentro da casa da piscina.
– Ei espera, para! – Eu tentei me livrar dele – Tom, o que você pensa que ta fazendo?

Continua...

N/A: Parece que a Miley se deu mal... Bom, vamos ver o que acontece!
Aqui está mais um capítulo, espero que gostem e mais uma vez me desculpem pela demora.
Bjssss
P.S Os próximos valem a pena esperar!

12 comentários:

  1. Tão perfeito
    Estou doida pra ver a continuação Posta logo

    ResponderExcluir
  2. Perfeito! Posta logo o mais rápido possível..o próximo tem Niley!!

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!!!
    Quero que o Nick chegue logo.
    Adoro a parte que o Josh está com a Miley. É muito engraçado rsrs.
    Posta logooo!! Preciso ver a parte Niley que está a caminho rsrs.
    Bjos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem um selinho pra vc no meu blog.
      http://myheartalwaysbeatsforlove.blogspot.com.br/2013/10/selinho_12.html

      Excluir
  4. Finalmente eu me atualizei! Hahahahahaha Foi mal pela demora, Amy! Você sabe como eu sou enrolada, né? Rs
    Cara, eu amo essa parte! Festas em fics sempre dão o que falar! É essa então... ui ui! Hahahaha
    Quando eu reli a cena do flagra da Miley com o Liam, juro que imaginei a mesma coisa na vida real. Aposto que a reação dela foi igualzinha! E olha que você escreveu isso bem antes desse babado todo! Por isso que essa fic é perfeita. Você conhece direitinho a personalidade deles e como eles vão reagir em cada situação. *-* Você é a diva Niley, Amy!
    Posta logo porque eu to doida pra reler a parte que o Nick chega nessa festa! XD
    Obs: Amei o seu Tom! Lindo e com cara de cafajeste, exatamente como eu imaginava! Hahaha
    Posta logo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olha, eu não sei se te mato, ou se choro. Tu sumiu pq mulher? Pensei que tu tinha morrido caramba! Sério vou te dar uns tapas dona Amy u_u Hm, ok. Vou começar a ler a fic, e depois comento de novo haha.
    Por favor, vê se me da sinal de vida. Facebook, skype, twitter, até sinal por fumaça ta valendo. Ta, vou ler e depois eu apareço de novo u_u Beijooooooos Sim, sou eu, Polly, retardada esposa do Joe. u_u

    ResponderExcluir
  6. Perfeito!! Esta cada vez melhor, se vale mesmo a pena eu vou esperar e tentar não surtar de ansiedade.
    Posta logo

    ResponderExcluir
  7. Capitulo fodaaaa! O Liam éum desgraçado mesmo, aff.
    Miley é maluca mds, trocou o carro por uma motinha velha scrr jihsajkf
    Muito ansiosa pros proximos capitulos!
    Bjos <3

    ResponderExcluir