Sinopse

"- ...Só que aí você volta, e te amar é tão mais fácil...."

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Eu amo a Miley Cyrus - Capitulo 04

                                                       Quem é ela?

Narrado por Miley

Sidney, Austrália, 17:22 PM (Horario Local), Parque central de Sidney.


Estava no parque com o Drew, em mais uma aula. Fazia duas semanas desde que começamos e eu estava tendo progresso, sem falar que essas aulas me distraem, eu me sentia muito solitária aqui na Austrália, sem nenhum amigo e sem nada pra fazer. Eu e o Drew nos demos bem automaticamente, ele é uma ótima pessoa e divertido, sem falar que como ele é homem posso perguntar dele certas coisas e também conversar mais abertamente, eu via nele uma pessoa confiável então compartilhei com ele algumas coisas pessoais que eu acho que só contei pra Dems.

– O que foi Miles? Voce parece meio distraída hoje, digo, mais que o normal... - Ele comentou enquanto tirava umas fotos de um bebedouro de pássaros.

– Ah... Não sei, eu acho que estou meio cansada, só isso! – Eu disse dando a ele um sorrisinho pouco convincente. Eu não estava mentindo, eu estava cansada, mas não era fisicamente, era cansada e estafada dessa vida que tenho levado. Sinto falta de Los Angeles e de como as coisas costumavam ser, de quem eu costumava ser e das pessoas com quem eu costumava conviver, sinto falta... "dele"
Sacudi minha cabeça levemente tentando afastar esses pensamentos da minha mente, não havia motivos para pensar no meu passado. Eu tinha uma boa vida, certo?! Um noivo apaixonado que me amava acima de tudo e me fazia feliz, então porque meus pensamentos insistiam em se voltar para uma pessoa que eu quero apenas esquecer?! Isso chega a ser irritante as vezes!

– Sabe, você precisa se distrair um pouco... – Drew disse se levantando, pois antes ele estava agachado tirando as fotos – E eu não sei bem como vocês ricos fazem isso, mas eu conheço uma maneira ótima! – Ele disse vindo ate mim e me tomando pela mão me levando em uma direção a um dos portões do parque.

– Ei, espera, pra onde estamos indo? – Eu perguntei – É que eu disse ao meu noivo que não sairíamos do parque e ele pode ficar chateado.

– Não precisa se preocupar, aonde vamos é bem perto daqui e alem do mais o seu noivo não pode ser tao ciumento assim, não tem nada demais! – Drew disse ainda me puxando e eu não protestei mais, ele tinha razão, Liam era um pouco ciumento, mas não tinha nada demais nisso.

Ele me levou ate um prédio bem perto dali, não era luxuoso, mas também não era nenhuma espelunca, Drew morava ali. Subimos ate o seu apartamento que ficava na cobertura e ele me levou até o telhado, onde ele tinha uma área especial cheia de lindas fotografias e ate um tripé de pintura com um quadro ainda não terminado. A área era meio que como um quarto todo de vidro então era possível ver a cidade toda dali e ainda se sentir bem próximo do céu.

* A vista

Me aproximei dos vidros abrindo uma das janelas do local para sentir o vento tocar calmamente o meu rosto, aquela era uma sensação gostosa, realmente tranquilizadora.

– Aqui é incrível! – murmurei baixo mas Drew ouviu.

– Voce é a primeira pessoa que eu trago aqui em muito tempo, eu não costumo trazer gente em casa, na verdade ninguém vinha aqui desde... bem, esqueça! – Me virei para olhar o Drew e ele estava pensativo, fitando o horizonte com um olhar perdido, eu conhecia aquele olhar, era o olhar de alguém que está procurando motivos, ou alguma razão para seguir em frente, exatamente como eu.
Desviei meus olhos dele por alguns segundos e fitei o quadro não terminado no tripé, alguns traços bem demarcados estavam dando forma ao rosto de uma moça, uma bela moça de cabelos negros, até então era a única referencia no quadro, pois o resto ainda não estava pintado.

– Quem é ela? – Apontei para o quadro, vi Drew empalidecer.

– Não, não é ninguém em especial, apenas uma moça que eu, bem que eu, que eu conheci a alguns anos... – Ele disse tentando esconder o quadro atrás de si com um lençol branco, mas não teve tanto sucesso, bem próximo a janela onde eu estava havia um caderno de desenho, que por coincidência teve suas folhas abertas pelo vento frio do entardecer. Estava cheio de desenhos da mesma moça do quadro e algumas fotos dela com Drew, onde eles pareciam bem felizes, arriscaria dizer que eram namorados. Num dos desenhos do caderno estava escrito Helena, é acho que era esse o nome... – Voce não deveria mexer assim nas coisas dos outros! – Drew disse sério, tirando o caderno de minhas mãos, haviam algumas lagrimas em seus olhos.

– É a sua namorada? – perguntei me referindo a moça dos desenhos. Drew relutou um pouco em me responder.

–M-minha esposa...minha falecida esposa! – Ele disse quase como um sussurro já deixando algumas lagrimas caírem de seus olhos. Eu pude sentir de imediato o quanto aquele assunto mexia com o Drew e o machucava. Eu entendia melhor do ninguém como era ter um relacionamento passado que ainda machucava tanto quanto se fosse recente.

– Eu sinto muito, Drew! – Eu disse o abraçando, tentando reconforta-lo. Pude sentir as lagrimas do Drew molharem um pouco o fino tecido da minha blusa. Acho que ele precisava apenas chorar um pouco.

Quando ele se acalmou me contou sobre a sua esposa, a Helena. Eles se conheceram ainda jovens, ela era professora de artes, inclusive foi ela que o ensinou a desenhar e a pintar, e ele já era fotografo, se apaixonaram e se casaram, mas Helena tinha uma doença terminal e tinha morrido fazia quase dois anos. Drew se sentia um pouco culpado, achava que poderia ter feito mais por ela se tivesse melhores condições financeiras, então algumas vezes se martirizava com isso. Desde então ele decidiu transformar esse espaço do apartamento em um lugar onde ele pudesse guardar as lembranças que tem dela...

– Sabe, você me lembra a Helena às vezes, não exatamente, mas vocês tinham um sorriso parecido! – Ele me disse olhando para o nada, como se puxasse na memória imagens dela.

– Ah, então foi por isso que resolveu tirar fotos minhas outro dia lá no parque, né?! – Eu fiz essa frase soar divertida, bom pelo menos o Drew abriu um meio sorriso.

– É pois é, - Ele disse coçando a nuca envergonhado - Sabe Miley, eu não quero ser enxerido, talvez eu esteja sendo, mas, bem naquele dia lá no parque você estava com um pensamento muito distante, e não sei explicar, também tinha algo diferente no jeito como você estava sorrindo naquele dia, um brilho diferente nos seus olhos. De uns tempos pra cá eu tenho reparado que nem sempre é assim, que algumas vezes você está ate pensativa, mas não daquele jeito, bem pelo contrario, algumas vezes eu te acho ate meio triste!

– Ah que nada, impressão sua! – Eu tentei me sair – Além do mais naquele dia eu estava mesmo feliz, mas eu nem lembro mais porquê! – Menti, na verdade eu lembrava, eu lembrava “dele” todos os dias.

– Ham... e o seu noivo Miley? Voce não fala muito dele! – Ele comentou.

– Ah... O Liam, bom, o Liam ele, ele é um cara...o-ótimo! – Eu pensei em muitas outras coisas pra dizer, mas nada saiu, nada soava, como posso dizer... Verdade. Drew me olhou e eu apenas suspirei – Eu vou me casar com ele, presume-se que ele seja o cara certo, não?!

– Me responda você! – Ele disse olhando nos meus olhos – Afinal, como você mesma disse é você quem vai se casar com ele! – Eu derrepente fiquei sem palavras, o que eu deveria responder? Que eu ainda não tinha certeza se queria me casar com o Liam? Ou talvez que eu ainda acho que gosto do meu ex que só me usou?!
Fiquei pensativa por alguns instantes, eu nunca tinha sido obrigada a pensar sobre o que eu realmente quero, bom, pelo menos não ate agora... Ficar aqui e me casar com o Liam? Voltar para L.A e pro Nick? Não... definitivamente eu não quero isso, eu não posso querer! 


– Sabe, você fica  muito bonita assim Miley, essa meia luz é perfeita! – Drew disse me olhando fixamente. Por um momento eu não entendi bem o que ele estava pretendendo com essas palavras mas quando ele se aproximou de mim aos poucos a ficha foi caindo. 
Felizmente meu celular tocou antes que ele pudesse colocar as mãos em mim. Rapidamente tirei o aparelho do bolso, era o Liam, atendi prontamente.


Ligação On

– Alô!
– Miley onde você esta?! – Liam perguntou já meio impaciente.
– E-Eu to, eu to... na avenida atrás do parque amor, D-Drew e eu resolvemos tomar um café e... – Ele me interrompeu
– Miley, eu já te disse pra não ir saindo assim, se queria tomar café porque não me avisou, eu te levava pra tomar café! – Eu fui descendo as escadas correndo e pegando meu casaco – Onde você esta exatamente? Eu to indo ai te pegar!
– Eu to, bem, eu to em frente a um prédio, um condomínio, acho que se chama Sidney Palace! – Eu disse nervosa, Liam estava de carro e chegaria rápido. Se ele sonhasse que eu estava no apartamento do Drew eu estaria perdida.
– Ok, estou chegando aí! - liam disse. Desliguei e fui abrindo a porta para sair do apartamento.


Ligação Of


– Miley, espera, por favor! – Drew pediu – Acho que eu te assustei, mas eu... Eu peço desculpas!

– Olha Drew eu tenho mesmo que ir agora, não tenho tempo de conversar, mas só pra você saber, tem uma pessoa que eu... Bem, que eu amo! – Eu disse enquanto vestia meu casaco apressadamente. Eu não estava me referindo a Liam e sabia disso, acho que inconscientemente eu sabia que eu não o amava, mas eu amava alguém, isso era um fato.

– Poxa,bem, pelo menos me diz que você vai aparecer amanhã na aula Miles, por favor! – A voz do Drew soou quase como uma súplica, mas eu não respondi nada, apenas sai do apartamento dele apressadamente. Nem peguei elevador, desci pelas escadarias mesmo. Cheguei ao lado de fora do condomínio um pouco antes de avistar o carro de Liam e respirei aliviada. Tinha sido por pouco, muito pouco.
Liam me pegou na esquina do prédio do Drew, ele estava sério então decidi não falar nada durante o trajeto até em casa, ele parece ter decidido a mesma coisa. Quando cheguei em casa subi as escadas e fui para o quarto, me atirei na cama mergulhando-me em pensamentos e teorias. Aquilo tudo que aconteceu no apartamento do Drew foi demais pra mim, tipo, não que ele não fosse  um cara lindo e totalmente encantador com essa coisa de ser um artista e ainda por cima um romântico a moda antiga, mas eu não me permitiria nem mesmo tentar alguma coisa com ele e a parte mais embaraçosa é que eu nem estava fazendo isso pelo motivo certo... Não era pelo Liam, nem mesmo por mim, era por causa "dele", foi nele que eu pensei quando recuei. Eu só não conseguia entender por que... E o que o Drew me falou antes disso, isso ainda tava martelando na minha cabeça, por que eu não conseguia ver o Liam como “O cara certo”, aquele que te faz ter certeza sobre o que quer?!
Na verdade eu estava confusa, confusa demais para alguém que mantém um relacionamento estável a mais de um ano, existiam dúvidas minhas que nem eu mesma sabia porque eu duvidava, Liam parecia perfeito, mas algo dentro de mim simplesmente dizia que não era pra ser. Por outro lado eu ainda sinto falta do Nick, do jeito como ele me olhava e me segurava firme em seus braços, havia um toque especial em seu beijo que eu nunca consegui encontrar em nenhum outro, porém ele é um cafajeste de marca maior e nunca me amou de verdade...
A confusão em minha mente estava formada e eu não sabia direito o que fazer, quais atitudes tomar... E o meu professor de fotografia estar tecnicamente apaixonado por mim não iria ajudar em nada... Deus o que eu faço??


Narrado Por Nick


Los Angeles, Califórnia, 20:47 PM (horário local), Apartamento do Nicholas.



Hoje eu estava de folga, não havia show agendado e nem nenhuma apresentação. Era apenas mais um daqueles dias tediosos que custavam bastante pra passar. Passei boa parte dele apenas sentado em meu velho piano tendo como única companhia uma garrafa de whisky, mas eu comecei a ficar melancólico demais então chamei a Bruna, uma digamos, amiga, que me faria esquecer mesmo que por apenas algumas horas, todos os meus problemas.

– Voce parece cansado amor, deixa eu cuidar de você um pouquinho,deixa?! – Ela pediu sussurrando sensualmente ao meu ouvido. Bastou aquilo para eu sentir o meu sangue ferver nas veias, eu ate gostava da sensação dos beijos dela descendo pelo meu pescoço era razoavelmente agradável.

A bela morena de seios fartos começou a acariciar todo o meu corpo me envolvendo em caricias tentadoras e maliciosas. Bruna era bem experiente, e pra ser sincero eu preferia mulheres assim agora que passei a fugir de compromissos.
Algumas vezes ainda me voltava a memória o tipo de cara que eu costumava ser, o tipo certinho e idiota que sempre é passado para trás. Eu ri desse pensamento, eu havia mudado bastante nos últimos tempos. A essa altura Bruna já descia numa trilha de beijos em meu peito, eu coloquei minhas mãos sobre sua cintura sentindo o calor da sua pele na ponta dos meus dedos.
Eu aproximei meu rosto do dela tentando beija-la, ela logo correspondeu e me deu passagem para que eu pudesse explora-la por completo. Eu desci minhas mãos por suas coxas apertando-as, não fazia questão de demonstrar nenhum tipo de carinho ou respeito, não estávamos aqui por isso e nós dois estávamos cientes disso. Bem, deixe-me explicar melhor, Bruna me satisfaria e isso faria bem ao meu ego, eram apenas negócios,  ela me daria prazer e eu pagaria por ele... Toda mulher que acaba vindo parar na minha cama quando não é uma caça pop star, é uma garota de programa, que é o caso da Bruna. Lá no fundo a maioria delas tem a ilusão de que podem fazer eu me apaixonar... coitadas, às vezes eu até tenho pena, só as vezes.
Esse é o tipo de coisa da qual eu não me orgulho e que eu sei que não te leva a lugar nenhum, nunca, mas que a gente sempre acaba precisando, principalmente quando se tem uma vida vazia como a minha. 

Eu sentia o calor dos seus suspiros batendo contra o meu rosto e também ouvia seus gemidos preencherem o quarto, acredito que estava sendo prazeroso pra nós dois, mas eu ainda sentia aquela sensação de vazio dentro do peito. Embora da pele dela emanasse calor eu não me sentia aquecido e embora eu não fosse passar essa noite sozinho, isso não significava que eu não me sentia solitário por dentro.
Ouvi meu celular soar, jogado sobre uma mesinha de centro que havia na antessala do meu apartamento. Eu não queria atender, não estava afim de atender quem quer que fosse, mas por algum motivo, simplesmente tirei a Bruna do meu colo e me levantei da cama, caminhando até onde o meu celular estava.
Ouvi alguns barulhos e olhei pela janela da sala, estava chovendo e não era pouco, talvez isso explicasse porque eu estava sentindo tanto frio. Olhei no visor de celular que tocava insistentemente e vi que era o chato do Josh. Pensei rapidamente em rejeitar a ligação e desligar o telefone, mas ao invés disso eu o atendi.

Ligação On


–Pronto... – Eu disse sem o mínimo entusiasmo.
–Nick, cara, você tinha mesmo razão! O Scotts ligou e eu fiz doce como você mandou, disse que você não estava nem um pouco interessado em estrelar o filmeco dele de quinta categoria. Bom, eu não sei nem explicar como, porque eu achava que isso simplesmente aniquilaria todas as suas chances, mas foi o contrario, ele mandou eu insistir com você e ainda aumentou a proposta inicial! – Josh dizia estabanado, mas feliz da vida também – Voce é genial garoto!
– Pois é, eu sou tão genial que deveria ser meu próprio agente, não acha?! – Ironizei.
– EI! – Josh protestou.
– Eu to só pegando no seu pé Josh... Mas o que quer que eu te diga? Eu já sabia que isso ia acontecer, mas eu estou feliz que tenha dado tudo certo porque aí eu não vou precisar te demitir! – Eu disse isso rindo um pouco – Agora se já me contou tudo que tinha pra contar eu vou desligar e...
– Ei, ei calma, eu liguei porque sei que você já está em Los Angeles, e eu quero almoçar com você amanhã e... – Eu interrompi.
– Olha só Josh, eu te acho um cara até legal, mas sabe, eu não jogo nesse time! – Baguncei
– Haha engraçadinho, é um almoço de negócios, e vê se não vai se atrasar dessa vez! – Ele advertiu – Vamos analisar algumas garotas para ver quem vai fazer o seu par romântico no filme, o diretor pediu pra você mesmo escolher porque a garota que ele queria para o filme vai se casar e saiu do ramo...
– Ham...E quem era?
– Ah…Cara, eu não lembro direito do nome dela, ela até é famosa, mas eu esqueço o sobrenome... Mi-miley Ciros, Circus, sei lá, algo assim
– Miley Cyrus?!
– Exatamente, Miley Cyrus, é esse nome mesmo! Bom, mas o agente dela disse que ela não vai fazer, parece que está de casamento marcado e decidiu abandonar a carreira pra ter mais tempo pra cuidar do marido... Mas temos outras boas opções, parece que a Kristen Stewart está interessada no papel, e ela é ótima, tenho certeza que se você escolher ela não vai se arrepender, o filme será um sucesso! O que acha Nick? Nick? Nick você ta ai?? – Eu desliguei o celular. Eu já não estava mais ouvindo o que o Josh estava falando a tempos, na verdade desde que eu escutei o nome dela, um nome que eu não escutava a tanto tempo.

Ligação Of

– Nick – Bruna veio andando em minha direção e me abraçou por trás – Volta pra cama, amor! – Ela deu um leve beijo em minhas costas.

– Me deixa sozinho... – Sussurrei. Eu estava sentindo uma dor tentando rasgar o meu peito, era impressionante como apenas ouvir o nome dela me causava esse tipo de sensação.

– Mas Nic...

– ME DEIXA SOZINHO!! – Berrei – EU QUERO FICAR SOZINHO!! – Ela me soltou e foi em silencio para o quarto. Eu fiquei olhando para as gotas de chuva molharem, pouco a pouco, a janela. Dizem que nada dura para sempre, mas aquele sentimento amargo de pesar em meu peito parecia que não iria me deixar tao cedo.


Narrado por Noah


Los Angeles, Califórnia, 23:58 PM (horário local). Mansão da família Cyrus.


– É talvez fosse melhor mesmo você ir embora dessa casa! – Mamãe

– Talvez eu devesse mesmo ir! – Papai – Só estou aqui ainda por causa da Noah, ela não tem culpa de ter uma vagabunda como mãe!

Mamãe e papai discutiam lá em baixo na sala e eu estava trancada em meu quarto. Sentada sobre minhas próprias pernas e agarrada ao meu coelhinho de pelúcia eu derramava algumas lágrimas, tem sido assim aqui em casa quase todos os dias já faz quase um mês. Eu não sei o que fazer, eles não brigam na minha frente, mas eu já havia percebido que estava acontecendo alguma coisa entre eles pois nem dormir juntos eles dormem mais.
Todas as noites eu me ajoelho e oro, peço a Deus pra que isso termine, mas parece ficar pior a cada dia... Estou com tanto medo, queria que a Miles estivesse aqui, ela saberia o que fazer!
Eu já havia tentado contar a Miley o que estava havendo por e-mail mais ela nunca mais me respondeu, tento ligar, mas na maioria das vezes o celular dela cai na caixa postal, ou então o Liam atende e diz que ela não esta em casa, que está ocupada trabalhando. Eu não queria preocupar a Miles, sei que ela deve estar trabalhando muito pra nem se quer me responder, mas é que eu não tenho suportado mais isso... E eu não tenho ninguém pra falar sobre isso, ninguém em confiar, ninguém para chorar. Acho que mais do que nunca eu precisava dela aqui.
(...)
Depois de quase quarenta minutos de discussão eu ouvi o som de um carro sair cantando pneus de casa. Corri até a janela e olhei através dela, era o carro da mamãe, achei que talvez fosse melhor ir lá em baixo e ver como o papai estava.
Desci as escadas lentamente e quando estava mais ou menos no terceiro degrau eu vi meu pai meio que jogado no sofá, chorando e bebendo tequila. Meu pai nunca foi de beber, ele devia estar mesmo triste.

– Papai, está tudo bem com o senhor? – Perguntei ainda parada na escada. Meu pai me olhou e algumas lagrimas brilharam em seus olhos.

– Sim, está sim amor – Papai sempre foi péssimo mentiroso. - A sua mãe ela, ela saiu, foi na casa da sua tia... - Eu sabia que isso também não era verdade. Fui até ele e me deitei em seu ombro, acho que ele precisava de um pouco de carinho agora, devia estar mal. Ele correu seus dedos pelos meus cabelos e ficamos assim durante um bom tempo.

– Papai, você ainda ama a mamãe?! – Eu perguntei sem sair do aconchego dos braços do meu pai, mas ele não respondeu nada, ficou calado por um tempo.

– Durma amor, você tem escola amanha cedo! – Foi tudo que ele disse, achei melhor não dizer mais nada. Meu pai começou a cantarolar uma musica triste, a voz dele saia com um certo pesar e também com uma dor inconfundível. Acho que acabei adormecendo em seus braços.




Continua...

21 comentários:

  1. Está perfeito. só não está mais que perfeito pq a Miley não está com o Nick rsrs.
    Posta Logoo!
    Bjos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar que ela vai ficar com ele logo logo rsrsrs
      Bjssss

      Excluir
  2. Aaaaaaaaah Miley e Nick em um filme? OMG *--* o Nick precisa aceitar e a Miley tambem!
    Nossa o Liam é um chato. Seria uma pena se ele sofresse um acidente!
    Tadinha da Noah :( ta sozinha em LA sem a Miles :(
    A fic ta muito boa! Posta maisssss! <3
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe a Miley aceita né?!
      Vamos ver...
      Bjsss

      Excluir
  3. aaaaaaaaaaahhhh, finalmente posso comentar aqui. eu ja acompanhava sua fic desde o nyah mas nunca tive conta por isso nao deixava comentarios. obg por ativar o modo anon. enfim... sua fic é perfeeeeeeeeeeeita. acompanhei a 2temp no nyah e li a 1 que ja estava terminada. aguardo ansiosamente pra voltar de onde parei, mas claro to acompanhando de novo. Nileeeey forever *-* POSTA LOGO !! by: -l.e

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lívia me pediu pra ativar o anonimo e eu fiz isso, na verdade eu não entendo muito como funcionam as coisas aqui no blog então sempre que vcs quiserem que eu faça alguma coisa pra facilitar a vida de vcs, é só pedir!
      Obrigada por acompanhar!
      Bjssss

      Excluir
  4. Awwwn, acho q ta quase cheegando a parte kkkk, ainda bem que você ta postandoo mais rapido hahahaaha...
    posta logo, bjoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, eu sei que demoro a postar e isso me deixa mal as vezes mas a verdade é que eu não tenho muito tempo disponível e eu não gosto de postar capítulos sem revisar antes...
      Bem, mesmo depois de um século, aí está, espero que goste!
      Bjssss

      Excluir
  5. Ta ficando cada vez mais perfeito!! eu pensei que era impossível!! Ansiosa pelo próximo e pelo começo da postagem de "minha garota favorita"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc está gostando! Acho que vou começar a postar minha garota favorita assim que essa temporada acabar ou quem sabe eu não crio um blog pra posta-la separadamente, vamos ver...
      Bjsss

      Excluir
  6. Já disse que odeio o Liam? Deus, como um ser pode ser tão chato.
    Estou super ansiosa! Apesar de já saber a continuação kkkkkk
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não odeia ele? Bom, pelo menos nessa fic KKKK
      Tá postado!
      Bjsss

      Excluir
  7. Amy, cadê você? POSTA LOGO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To aqui...desculpe a demora!
      Postado!
      Bjssss

      Excluir
  8. Posta logoo o proximo capitulo, too loucaaa po reencontroo dos dois... a e falando como a livia... ja disse que odeiio este liam?? :|||| kkk nick ta um safadenho.. kkk posta logoo flor :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vcs já odeiam o Liam agora imagina o que vão sentir por ele nos próximos capítulos da fic...
      Postado!
      Bjsssss

      Excluir
  9. O Liam fica mais filho da puta a cada capítulo, impressionante... Cara, como ele tem coragem de estragar a vida da Miley desse jeito usando o discurso que a ama!? Ele doente por ela, isso sim! Doido varrido!
    Eu to com tanta peninha do Nick, apesar de ser um cafajeste agora Kkkkkkkkk Miley tem que voltar logo!
    Posta mais Amy! Estou super ansiosa pra ler onde parei!
    E vê se não some, hein!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se eu sou a unica mas eu acho que sinto muito mais pena dos cafajestes, eles parecem que sofrem bem mais por amor...
      Postado!
      E eu vou tentar não sumir, juro!
      Bjssssss

      Excluir
  10. Muito bom
    posta logo...:-)

    ResponderExcluir